O que é FGC e quais os investimentos garantidos por ele?

Para quem deseja investir com segurança e tranquilidade, entender o que é FGC permite escolher os melhores ativos. Por meio dele é possível minimizar o risco de qualquer aplicação e ainda alcançar uma remuneração adequada. Da mesma forma que existe seguro para imóveis, carros e até celulares, há um seguro específico para proteger seus investimentos.

Conhecer bem sobre o FGC e como ele funciona é imprescindível para entender quais são os requisitos e condições para ter o seu investimento assegurado. Se você quer aprender um pouco mais sobre tal recurso, continue a leitura e veja quais são os ativos garantidos por esse fundo. 

O que é o Fundo Garantidor de Créditos (FGC)?

O Fundo Garantidor de Créditos (FGC) é uma organização sem fins lucrativos que protege os investidores que aplicam seu capital em instituições financeiras associadas a essa entidade. 

Tal proteção ocorre para os casos de intervenção e liquidação extrajudicial ou quando o Banco Central define o estado de insolvência da instituição. Desse modo, no momento em que o banco quebrar, os clientes que investem em produtos financeiros dessa instituição não perdem o valor aplicado.

Essa cobertura conta com um teto de R$ 250 mil do total investido. Assim, o FGC garante a proteção patrimonial dos investidores. Além disso, o fundo ainda serve para prevenir emergências no sistema bancário e garantir sua estabilidade em termos de solvência. 

Como funciona o FGC?

Esse fundo se mantém por meio do investimento periódico das instituições que são membros do FGC. Isso significa que as empresas financeiras contribuem mensalmente com uma parcela dos seus depósitos que se enquadram nesse tipo de garantia. 

A associação é obrigatória, conforme determinado pelas normas do Banco Central. Devem fazer parte desse fundo as seguintes entidades:

  • bancos comerciais;
  • bancos públicos;
  • bancos múltiplos;
  • financeiras;
  • sociedade de crédito imobiliária;
  • associações relacionadas a empréstimos e poupanças; e 
  • companhias hipotecárias. 

Em qualquer um dos casos de risco citados anteriormente para cada uma das instituições participantes, o FGC utiliza o montante acumulado para pagar o valor devido aos investidores e usuários de contas correntes. 

Quem paga o FGC?

O valor no Fundo Garantidor de Crédito é proveniente dos bancos e instituições financeiras associadas a ele. Nesse sentido, essas instituições realizam depósitos mensais de 0,01% do total de depósitos que os indivíduos fazem nos investimentos.

Assim, quando há algum problema em relação aos investimentos em que é necessário utilizar essa garantia, o dinheiro já está no fundo, e o usuário tem acesso até uma certa quantia determinada.

Quais são os investimentos garantidos pelo FGC?

Apesar de ser uma ótima forma de garantir segurança para os seus recursos financeiros, o FGC não cobre todos os tipos de ativos. São cobertos pelo fundo as seguintes aplicações:

  • Depósitos à vista ou sacáveis e Depósitos de poupança;
  • Letras de câmbio, hipotecárias e de crédito Imobiliário;
  • Certificados de Depósitos Bancários (CDBs);
  • Recibo de Depósitos Bancários (RDBs).

Assim, se você quer contar com essa proteção, esses são os ativos que oferecem garantia pelo FGC. Vale lembrar que não é pago nada a mais pelo segurança que ele oferece. 

Quais investimentos não são garantidos?

Existem alguns investimentos de renda fixa que não são garantidos pelo FGC e, portanto, vale a pena atentar antes de fazer essas aplicações. São eles:

  • Debêntures;
  • Certificado de Recebíveis Imobiliários;
  • Certificados de Recebíveis do Agronegócio;
  • Letra Imobiliária Garantida.

Portanto, é importante tomar cuidado e fazer uma boa seleção quando decidir investir nesse tipo de ativo. Para lhe auxiliar na escolha, é válido contar com a ajuda de um profissional de mercado.

Qual é o valor garantido pelo FGC?

O Fundo Garantidor de Crédito disponibiliza um limite de R$ 250 mil por CPF ou CNPJ por empresas de um conglomerado financeiro. Assim, é válido para um investidor dividir os recursos aplicados que ficam acima desse valor em instituições financeiras diferentes, aumentando o montante total coberto.

Aqui há um porém. Mesmo dividindo os recursos em diversos bancos, há um limite total de R$ 1 milhão. Por exemplo, imagine que você tenha um montante de R$ 2 milhões aplicados, dividido em 8 bancos com valores iguais. Caso 6 deles acabem falindo você consegue resgatar apenas o dinheiro de 4 bancos, que totalizam R$ 1 milhão.

É preciso comprovar investimento para receber do FGC?

Há possibilidades de ocorrer necessidade de entrar em contato com os responsáveis pela liquidação para realizar a comprovação dos investimentos, mas isso é uma exceção. A princípio, quando ocorre a publicação do edital de liquidação do banco, existe um local para receber o dinheiro. Caso seu nome não esteja neste edital, vale procurar ajuda para comprovação.

Quais são os riscos de aplicar em ativos que não tem cobertura?

Quando você investe em um ativo que não tem cobertura pelo FGC, em caso de insolvência da instituição financeira onde seu dinheiro está, todos seus recursos são irrecuperáveis. Ou seja, você perde tanto o capital principal quanto os rendimentos que acontecem. 

Portanto, se você tem um perfil de investidor avesso ao risco e prefere segurança, pode ser uma boa optar por ativos financeiros garantidos pelo FGC ou pelo Governo Federal, caso do Tesouro Direto. Além disso, contar com especialistas é interessante para definir as melhores alternativas para o seu dinheiro.

Quais as outras garantias oferecidas pelo FGC?

Além da garantia ordinária de R$ 250 mil, o fundo conta com outro tipo de garantia especial. Essa segurança é oferecida apenas aos Depósitos a Prazo com Garantia Especial (DPGE), um tipo de título de renda fixa criado em 2009 para ajudar as instituições de pequeno porte a buscar recursos. 

Para esse tipo de garantia o valor máximo assegurado é de 20 milhões de reais. Como o valor coberto é significativamente mais alto, a exigência das instituições associadas é de uma contribuição mensal equivalente a 0,833% do montante total de saldos. 

Entendeu o que é FGC e como ele pode ajudar você a aplicar seu capital com maior segurança? Com esse fundo você pode tranquilizar-se em caso de insolvência, eliminando riscos de perder todo o seu dinheiro. Além disso, contar com a ajuda de profissionais capacitados é sempre relevante para alcançar rentabilidade interessante.

Gostou deste artigo sobre o Fundo Garantidor de Crédito e quer ficar por dentro do mercado financeiro? Então siga nossa página nas redes sociais e confira nosso conteúdo. Estamos no Facebook, Instagram e LinkedIn!

Você também pode se interessar por:

Abra sua conta online e grátis