Descubra 6 dicas de como montar a sua carteira de ações!

Muita gente ainda tem medo de montar a sua carteira de ações e investir na Bolsa de Valores por desconhecer esse universo. Essa falta de conhecimento faz com que grande parte perca boas oportunidades de ampliar o seu patrimônio.

Outros, por sua vez, acreditam que a Bolsa não é um “investimento para todos”. Entretanto, é possível, sim, alcançar o sucesso por meio dessa aplicação, sabendo como investir e montando uma carteira que esteja de acordo com as suas metas e com os seus objetivos.

Pensando nisso, preparamos este artigo com a colaboração de João Paulo Lux, responsável pela Mesa Private da CM Capital e.PLUS, para acabar de vez com as suas dúvidas. Veja como criar uma carteira na Bolsa de Valores e ter um investimento mais sólido, em conformidade com aquilo que você deseja. Continue lendo para conferir as principais dicas e as metodologias para começar a investir em ações!

Por que é importante montar uma boa carteira de ações?

Na hora de investir em ações, muita gente acaba por seguir algumas carteiras prontas, busca inspiração ou mesmo “copia” aquilo que investidores de sucesso fazem; ou, então, prefere montar a carteira apostando tudo em uma grande empresa. No entanto, essas não são as melhores alternativas.

Em primeiro lugar, porque a carteira de ações deve ser personalizada para cada indivíduo de acordo com aquilo que ele deseja e em conformidade com o que faz sentido para os seus objetivos; e, em segundo, porque não podemos, como diz o ditado, “colocar todos os ovos em uma só cesta”.

Isso significa que, na hora de investir, você precisa criar uma boa carteira de ações de acordo com o seu perfil de investidor. Além disso, o ideal é diversificar os ativos para que você obtenha ganhos de diversos lados, sem o risco de ter todo o seu investimento em uma só empresa. João, inclusive, explica que a criação de uma boa carteira de ações também ajuda a lidar melhor com as variações do mercado.

“É preciso entender que o mercado é cíclico. Em um momento, sobe e, em outro, cai. Com isso, nenhuma ação mostrará apenas ganhos ou subirá somente porque desejamos. Entender o momento do investimento, conhecer a empresa em que se deseja investir e ter um bom gerenciamento de risco é parte fundamental de um investimento de sucesso e consistente”, pontua.

Quais metodologias podem ser utilizadas para montar a carteira?

O uso de metodologias é muito importante para criar uma boa carteira de ações. Você pode utilizar dois tipos de análise para iniciar os seus investimentos na Bolsa, sendo elas: a análise técnica e a análise fundamentalista.

A análise técnica, ou gráfica, ajuda a conhecer as flutuações dos preços das ações no mercado. Com ela, conseguimos prever os seus possíveis movimentos no futuro, afinal, ela se baseia na teoria de que existe uma repetição de padrões e de que isso influencia os movimentos gráficos dos preços das ações ao longo do tempo.

Seguindo essa metodologia, é possível visualizar de forma precoce possíveis quedas ou as tendências em um período, norteando as decisões na hora de montar a carteira.

Já a análise fundamentalista é feita utilizando dados financeiros das empresas para que você possa conhecer um pouco mais sobre elas no mercado. Essas metodologias se complementam, por isso, o ideal é que você utilize as duas na hora de montar a sua carteira de ações.

Quais são as principais dicas para montar uma boa carteira de ações?

Ainda parece complicado? Não se preocupe porque, como prometemos, separamos algumas dicas para que você possa montar a sua carteira de ações com facilidade. Veja a seguir!

1. Conheça o seu perfil

João lembra que todo investimento tem um determinado risco, ainda que ele seja pequeno, e o que determina o quanto você deseja ou pode se expor a esses riscos é o seu perfil de investidor. Alguns são mais conservadores, outros são mais ousados; saber em qual desses grupos você se encaixa é fundamental para criar uma carteira de ações alinhada com as suas metas.

“Entender o perfil vai auxiliar o investidor na tomada de decisão e nas escolhas dos ativos. Cada investidor tem um perfil de investimento; uns para longo prazo, outros para curto prazo, uns mais dispostos a encarar riscos em busca de altos ganhos, outros nem tanto. Por isso é importante montar uma carteira que seja direcionada para os objetivos de cada investidor”, explica João.

2. Defina os objetivos

O especialista da CM Capital e.PLUS explica que, antes de tudo, é preciso saber aonde se deseja chegar para que se possa efetivamente alcançar algum lugar. Segundo ele, os objetivos são parte do plano de qualquer investidor e, quando bem definidos, direcionam as ações e outros ativos conforme o perfil de cada pessoa.

“Uma carteira de longo prazo, voltada para o recebimento de dividendos e/ou alugueis, é mais direcionada para aquele investidor paciente, que buscar ver os seus rendimentos crescendo de maneira constante para objetivos em alguns anos. Uma carteira especulativa é voltada para investidores mais adeptos ao risco, que buscam uma alta valorização da ação em um curto período de tempo”, esclarece.

3. Entenda os riscos

Como você viu, João conta que todo investimento tem um risco e, com as ações, isso não é diferente. Portanto, uma das dicas para montar a sua carteira é ter atenção a esses riscos envolvidos.

“O primeiro cuidado que devemos ter é entender os tipos de riscos a que estamos expostos e, em seguida, trabalhar com a diversificação de ativos para que possamos minimizar as perdas, quando e se acontecer. Também podemos introduzir a essa lista a aversão ao risco, os principais objetivos do investimento e o prazo em que desejamos alcançá-los”, afirma João.

4. Diversifique a carteira

O especialista conta que a diversificação é uma forma de proteger a carteira de ações. “Quando trabalhamos com ativos diferentes, existe um balanceamento de toda a carteira evitando o risco de liquidez (por falta de investidores), o risco de crédito (em razão de a empresa não ter uma boa saúde financeira) ou até mesmo o risco do setor (quando, por algum motivo, ele não vai bem)”, pontua.

Perceba que não se trata apenas de trabalhar com empresas diferentes, mas também com setores diversificados. Analisar o momento faz toda a diferença para ver quais são os segmentos mais interessantes e investir nas empresas promissoras e que estão de acordo com o seu perfil.

5. Conheça o mercado

Qualquer tipo de investimento envolve também conhecimento, logo, você precisa aprender mais sobre o mercado. João explica que esse aprendizado contribui para a mudança de comportamentos, quando erráticos, e também para uma tomada de decisão mais assertiva. Isso vai favorecer os seus planos e os investimentos, trazendo uma probabilidade maior de sucesso.

6. Conte com o suporte de especialistas

Contar com o suporte de especialistas é um excelente caminho para você montar a sua carteira de ações. Isso porque esses profissionais têm um alto conhecimento do mercado e de outros produtos de investimentos; assim, podem sugerir o melhor conforme o seu perfil e os seus objetivos.

A CM Capital e.PLUS tem um time formado pelos melhores profissionais do mercado; todos com amplo conhecimento e experiência no assunto. Por isso, eles podem ajudar você a montar a sua carteira de ações de forma personalizada e com total atenção e cuidado ao seu patrimônio para que você invista com mais segurança.

A Bolsa de Valores também é um investimento para você. Entre em contato com o time da CM Capital e.PLUS e receba o melhor suporte para começar a montar a sua carteira!

Você também pode se interessar por:

Abra sua conta online e grátis