Blog

Investimentos com a alta do dólar: 3 opções

Investimentos beneficiados com a alta do dólar? Veja aqui:

Todo investidor deve estar sempre atento, com um olho na sua carteira e outro no mercado. A alta do dólar, por exemplo, surgiu como uma ótima oportunidade para quem souber como aproveitar essa variação. Aqueles que investirem bem nesse período poderão se beneficiar, colhendo bons resultados.

É claro que, para isso, é preciso saber quais são os investimentos mais indicados e quais deles podem trazer as melhores rentabilidades. Pensando nisso, queremos ajudar você a escolher os ativos certos e preparar a sua carteira com uma boa estratégia.

Ficou interessado? Então, chega de enrolar e vamos logo conhecer as melhores opções de investimento com a alta do dólar!

Quais foram os impactos da alta do dólar na economia brasileira?

A economia dos Estados Unidos tem uma grande credibilidade no mercado mundial. Isso a torna um verdadeiro porto seguro quando se trata de investimentos. O dólar, por consequência, acabou se tornando a moeda universal utilizada nas negociações internacionais.

Essa é a principal razão pela qual qualquer mudança na economia dos Estados Unidos afeta outros países, incluindo o Brasil. Como a nossa nação é importadora de muitos produtos americanos, além de também vender para o país, os ganhos com essas transações oscilam.

Então, quando o dólar está em alta, os produtos importados encarecem, o que eleva a inflação e diminui o poder de compra do cidadão brasileiro. Além disso, os produtos feitos aqui se tornam ainda mais baratos nos países de venda, fazendo com que eles se tornem mais competitivos.

A parte boa é que as empresas exportadoras passam a ter uma rentabilidade maior, investindo mais no Brasil e movimentando a economia. Isso só não acontece de forma mais intensa quando esses empreendimentos têm dívidas para serem pagas em dólar, que se tornam ainda mais caras nessas condições.

Como isso tem afetado o mercado de investimento?

Não é só a dinâmica de importações e exportações que muda com a alta do dólar. O mercado de investimentos também experimenta impactos bastante significativos. Os fundos cambiais, por exemplo, são os primeiros a sentirem a diferença, já que seu rendimento é somado à variação da taxa de câmbio, que aumenta e diminui conforme o valor do dólar.

Então, se a moeda americana se valoriza, os investimentos que se relacionam com a taxa de câmbio também mudam. Isso acontece na renda fixa e na variável.

Investimento em Renda fixa

Para se defender das consequências da alta do dólar, o Banco Central adota algumas medidas estratégicas, como o aumento da taxa de juros. Assim, tanto a Selic como o CDI se elevam. Isso faz com que muita gente acredite que a rentabilidade desses investimentos aumentará, quando o que acontece é exatamente o contrário.

O retorno real sobre os investimentos é menor, porque a inflação aumenta e, consequentemente, o poder de compra. Então, assim como o aumento das taxas, o investidor tem que considerar a inflação acumulada do período.

Investimento em Renda variável

Do mesmo modo, a renda variável também é afetada. Como você viu, a alta do dólar influencia principalmente no desempenho financeiro das empresas exportadoras e importadoras. Isso porque, com a valorização da moeda, os produtos ficam mais caros, o que diminui a margem de lucro e influencia negativamente o valor das ações.

No entanto, para quem exporta, é uma boa oportunidade de ampliar a margem de lucratividade, afinal, recebe em uma moeda hipervalorizada. É por isso que é preciso ficar atento às variações da taxa de câmbio para escolher corretamente as empresas nas quais investir.

Quais são as opções de investimento mais promissora com a alta do dólar?

Agora sim, chegou a hora de descobrir quais são as melhores opções de investimentos para fazer em momentos que incluem a alta do dólar. Vamos lá?

1. Investimentos em Minicontratos de dólar futuro

Os mini contratos de dólar futuro são um tipo de investimento que vai pagar a você a diferença proporcional à valorização da moeda dentro de um determinado período. É uma ótima alternativa para quem pretende viajar para países que aceitam pagamentos em dólar, afinal, você pode aplicar e resgatar quando bem entender.

Você, basicamente, compra o direito de recuperar o valor da moeda no momento do vencimento que constará no contrato. Se ela estiver abaixo do valor do mercado no momento da contratação, então você terá prejuízo. Por outro lado, se ela valorizar nesse meio tempo, você poderá lucrar com o investimento.

Essa opção é considerada perfeitamente viável tanto para pessoas físicas quanto para empresas de pequeno e médio porte. Em geral, esse tipo de contrato fica em cerca de 20% do chamado contrato cheio de dólar. Outra informação importante é que o investidor pode operar alavancado.

Essa alavancagem indica que você não precisa ter todo o valor do investimento em mãos no momento da contratação. Se você tiver o percentual negociado, a margem de garantia, já poderá ser considerado capaz de arcar com possíveis prejuízos.

Portanto, resumidamente, trata-se de um derivativo acordado de compra e venda de dólar, com os preços do mercado presente, mas com vistas para o mercado futuro. Quanto mais o dólar subir durante a vigência do contrato, melhor para o investidor.

2. Investimentos em Ações americanas

Se você não está acostumado com a ideia de investir em mini contratos futuros, talvez prefira aproveitar a alta do dólar investindo no bom e velho mercado de ações. Seja por meio de ações de empresas exportadoras ou de ETFs, existem muitas opções na bolsa de valores.

No entanto, procure observar que, nesse caso, a rentabilidade dos seus investimentos será diferente da variação da moeda. Assim como as empresas nacionais, essas ações também estarão sujeitas a outras variáveis, como a economia estadunidense e à atuação da companhia no mercado.

No caso dos fundos de investimentos, os ETFs, você negociará cotas como se fossem ações. Eles replicam comportamentos de índices de referência para ter acesso tanto ao mercado local quanto ao externo, o que possibilita as aplicações em companhias que operam com o dólar.

Como não estão diretamente atreladas à moeda, as ações são, por um lado, menos arriscadas, afinal, dependem em grande parte das estratégias corporativas. Ao mesmo tempo, caso a companhia passe por algum imprevisto ou tenha problemas de administração ao longo do caminho, os títulos podem desvalorizar, ainda que a moeda vá muito bem.

3. Investimentos em Fundos cambiais

Os fundos cambiais são, disparadamente, a melhor opção para os pequenos investidores. É possível aplicar com um aporte de R$1.000,00, além, é claro, de contar com uma diversificação muito atrativa para aumentar a segurança da carteira.

No entanto, é importante que o investidor que optar pelos fundos mantenha suas aplicações rendendo por, pelo menos, 30 dias. Do contrário, ele terá que arcar com o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), o que certamente diminuirá sua rentabilidade.

Nesse tipo de operação, a dinâmica dos resultados fica bem próxima à oscilação da cotação do dólar. Isso porque os ativos estão todos relacionados com a moeda americana. Assim, você adquire cotas, diversifica suas opções e fica mais próximo de obter bons rendimentos.

Lembrando que todo ativo tem suas particularidades e elas devem ser consideradas no momento da escolha. Também é importante que suas opções de aquisição estejam alinhadas com o seu perfil de investidor, do contrário, nem a alta do dólar será capaz de diminuir os riscos para a sua carteira.

Então, agora que você já está atualizado sobre o que fazer para aproveitar a alta do dólar nesse momento tão crucial da economia, que tal se inteirar sobre outros assuntos? Assine a nossa newsletter e fique por dentro dos nossos melhores conteúdos, tudo diretamente pelo seu e-mail!

Você também pode se interessar por:

Abra sua conta online e grátis