Previdência privada: saiba o que é e como fazer uma

Previdência privada é fundamental para ter segurança financeira na velhice. Afinal, para algumas pessoas, a aposentadoria proporcionada pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) pode não ser suficiente na manutenção do estilo de vida. 

Além disso, considere que algumas mudanças nas regras de aposentadoria social tornam esse direito mais distante para algumas pessoas. Por exemplo, em 2022 a idade mínima para se aposentar pelo INSS é de 61 anos e meio para mulheres.

Percebeu como é importante entender sobre previdência privada e considerá-la no seu planejamento financeiro? Pensando nisso, preparamos este post com diversas informações sobre o assunto. Saiba mais!

O que é a previdência privada?

A previdência privada é um tipo de investimento para objetivos de longo prazo, como a aposentadoria. Ela é independente da que é oferecida pelo INSS e pode complementar essa modalidade ou substituí-la, para quem não tem direito à aposentadoria social. 

Essa modalidade é oferecida por instituições financeiras, como corretoras, bancos e seguradoras. Para isso, os investidores devem pagar uma quantia mensal por um tempo pré-determinado ou em parcela única, ou seja, até certo ponto, a formação da previdência privada ocorre similarmente à aposentadoria social. Isto é, em ambos casos existe uma contribuição financeira para formar a futura renda do cidadão para a aposentadoria. 

Como funciona a previdência privada?

No tópico anterior explicamos sobre o conceito de previdência privada. Para maior compreensão sobre o seu funcionamento, é importante observar que ela pode ser dividida em duas etapas, conforme comentamos a seguir.

Primeira etapa

O investidor contrata o plano com alguma instituição, conforme seus objetivos e estilo de vida que almeja. Feito isso, é necessário fazer o aporte financeiro. Assim, o dinheiro deve render ao longo dos anos, já que é um investimento de longo prazo e precisa ser acrescido de juros

Segunda etapa

Ao escolher o plano, o investidor também define o prazo do resgate, período total em que a contribuição financeira deve ocorrer. Quando o momento chegar, é possível resgatar o dinheiro e utilizá-lo para seus objetivos, que costuma ser aposentadoria. 

Porém, ele também pode servir para compra de imóvel, estudo dos filhos etc. Seja qual for o seu objetivo, você pode optar pelo pagamento do resgate em uma única parcela ou como renda mensal. Além disso, a previdência privada pode ser dividida de duas formas. Confira!

Fundo de pensão ou fechada

Esse tipo de plano de previdência privada é oferecido por algumas associações profissionais a quem faz parte desse grupo. Assim, o vínculo do plano de aposentadoria envolve não apenas o participante, mas também a empresa.

Aberta ou previdência individual

Essa modalidade é o oposto da anterior e é disponível para qualquer pessoa que almeje criar uma renda extra para o futuro. Logo, é importante que os interessados busquem por conta própria instituições que oferecem esse tipo de plano. Por falar em planos de previdência privada, saiba que existem dois deles: PGBL e VGBL. Saiba mais sobre cada um!

Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) 

Esse tipo de plano é indicado para quem faz declaração completa do Imposto de Renda (IR). Afinal, é possível deduzir até 12% em todos os anos em que foram realizadas as aplicações. Assim, se desejado, o valor economizado pode ser abatido no investimento para elevar a rentabilidade

Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL)

O outro tipo de plano é o VGBL, que não realiza abatimento no IR. Então, é mais indicado para quem é isento desse pagamento ou declara o Imposto de Renda simplificado. Felizmente, ao fazer o resgate do investimento nesse plano, o valor do imposto só incide sobre o rendimento, não no valor total.

Como fazer uma previdência privada?

Após conhecer como funciona a previdência privada, a sua próxima pergunta pode ter sido como investir nessa modalidade. Então, acompanhe os passos que devem ser seguidos!

Procure uma instituição financeira

Como visto, o primeiro passo é procurar uma instituição financeira que oferece esse investimento, para quem não tem o plano fechado. Assim, é importante analisar a credibilidade dessa instituição, suporte oferecido, percentuais de rentabilidade, taxas cobradas etc. Tudo isso ajuda na melhor tomada de decisão. 

Defina o valor a ser investido

O valor a ser investido varia conforme as suas condições financeiras e estilo de vida que pretende manter futuramente. Além disso, considere a expectativa de vida da população e os gastos que você pode lidar com saúde, devido ao envelhecimento. E ainda, pense no tempo em que você receberá o benefício.

Faça simulações

Ficar na teoria e nas suposições pode ser difícil para muitas pessoas. Por essa razão, muitas instituições financeiras permitem que os usuários façam simulações. Assim, fica mais fácil você chegar ao plano mais alinhado com o seu perfil. Nesse sentido, é importante que elas considerem:

  • tempo de investimento;
  • período do benefício;
  • rendimento;
  • valor;
  • imposto de renda;
  • renda pretendida;
  • renda mensal atual;
  • inflação.

Analise o rendimento

O valor do rendimento de uma previdência privada depende de uma série de fatores, como o valor investido e os riscos corridos. Normalmente, quanto mais riscos existem, maiores as chances do rendimento ser elevado a longo prazo. 

E ainda, como se trata de um resgate de longo prazo, a instabilidade momentâneo do mercado financeiro pode não impactar tanto nas aplicações e ser diluída com o tempo. 

O investimento na previdência privada vale a pena?

Você já sabe como fazer uma previdência privada. Mas será que investir nessa modalidade vale a pena? Para responder a essa perguntar, considere que existem planos para diversos perfis de investidores. Além disso, em caso de morte, o dinheiro é liberado para os herdeiros, sem precisar de inventário. 

Como você pôde verificar, saber como fazer uma previdência privada e entender se esse investimento vale a pena, é importante para tomadas de decisão sobre a sua vida futura. Ao adotar essa modalidade de aposentadoria, você eleva as chances de estabilidade financeira na velhice. Mas para melhores resultados, não deixe de ponderar cautelosamente os passos citados, como a escolha da instituição financeira de confiança e alinhamento às suas necessidades.

Nesse sentido, a CM Capital se destaca no oferecimento de planos de previdência privada. Quer saber mais sobre eles? Entre em contato conosco!

Você também pode se interessar por:

Abra sua conta online e grátis