Blog

  • Home
  • Educacional
  • 4 livros para aprender a calcular da melhor forma o risco do seu investimento

4 livros para aprender a calcular da melhor forma o risco do seu investimento

Descubra quais informações são mais importantes na hora de  avaliar o risco de seus investimentos, e aprenda como fazer  escolhas mais inteligentes e rentáveis!

O princípio de “economizar” não é constituído somente de guardar dinheiro, mas sim de administrá-lo da maneira mais inteligente possível. Entretanto, manter suas economias de forma perspicaz vai muito além de reduzir gastos e desperdícios.

O modo mais inteligente e rentável de utilizar seu dinheiro é investi-lo! Assim, além de mantê-lo, você faz, na maioria das vezes, com que ele não perca seu valor devido à inflação, além de multiplicá-lo através dos valores que ele rende.

Um grande impedimento, para a maioria das pessoas, é a falta do conhecimento necessário para iniciar no mundo dos investimentos, visto que não há uma receita pronta para o sucesso, e que cada pessoa possui condições, anseios e necessidades diferentes.

Com base nisso, o primeiro passo é que saibamos qual nosso perfil de investidor, ou seja, qual nossa condição financeira atual, nossos propósitos, nossa idade, o quanto já conhecemos sobre o mercado financeiro, e o mais importante: o quanto estamos dispostos a arriscar em nossos investimentos.

Possuir consciência sobre essas informações faz com que possamos conhecer quais aplicações podem nos beneficiar no momento, para, então, melhor direcionar nossos esforços, estudos e, claro, nosso dinheiro, de forma que compreendamos quais riscos estamos correndo, e como evitá-los.

Portanto, listamos neste artigo 4 obras que lhe auxiliarão no entendimento dos riscos dos investimentos e o que devemos levar em consideração para fazer a melhor escolha ao definir onde aplicaremos nosso dinheiro.

Está pronto? Prometemos que essa leitura apenas lhe gerará lucros!

1. O Investidor Inteligente – Benjamin Graham

Além de educação financeira, investimentos exigem constância e determinação. Inteligência é o ponto chave para conciliar tantos dados, teorias e incertezas em um cenário imprevisível. O livro O Investidor Inteligente, do renomado investidor e economista Benjamin Graham, promete oferecer dicas de como chegar lá.

Compreendemos, com a obra, que um investidor inteligente deve analisar uma companhia e suas atividades antes de comprar suas ações. Também precisa planejar, investir e esperar por um desempenho realista e racional , buscando sempre evitar e se proteger contra os riscos dos investimentos.

O autor, conhecido como “pai do investimento de valor”, nos ensina que é indispensável possuir conhecimentos básicos, mas que não é necessário ser um especialista em economia para investir. Sendo assim, Graham define dois principais perfis de investidores inteligentes, o Defensivo e o Empreendedor, nos quais:

  • Defensivo: não consegue ou não gosta de pensar nos detalhes, é simplista e se sente desconfortável sob pressão. Deve, então, determinar uma gestão de ações de maneira automática, onde não há esforço na escolha das ações ou de títulos, como, por exemplo, os Títulos do Tesouro;
  • Empreendedor: tem como base de seus investimentos o estudo, acompanhamento de dados e o desejo por fazer suas próprias escolhas e análises. Dessa forma, o leque de possibilidades é ampliado, apesar de os riscos serem maiores.

Independentemente da maneira de investir ou do perfil do investidor, é importante ter a consciência de que a prática é indispensável, que é possível aprender com os erros e que devemos possuir persistência para que possamos, em longo prazo, conquistar mais vitórias do que derrotas.

2. A Fórmula Mágica de Joel Greenblatt – Joel Greenblatt

Tratando-se de investimentos no mercado de ações, Joel Greenblatt, uma das maiores referências mundiais, ensina em sua obra, A Fórmula Mágica de Joel Greenblatt, a fórmula utilizada por ele e por todos os investidores de sucesso: “vender ações quando o preço está acima e comprar quando está abaixo”.

Na verdade, de “mágica” essa fórmula não possui muita coisa. Mas, então, por qual razão nem todos conseguem segui-la? A resposta é que, apesar de muitos terem consciência empírica sobre ela, a maioria não sabe como aplicá-la. Portanto, o autor ensina quais fatores devemos analisar ao investir em ações.

São eles:

  • Earnings Yield: devemos analisar se o valor pelo qual uma ação é vendida é rentável. Isso não deve ser feito com base em opiniões, crescimentos repentinos ou notícias tendenciosas, e sim pelo cálculo entre o lucro operacional e o preço da empresa analisada;
  • Return on Capital: analisar o ROC nos mostra a capacidade de uma empresa de transformar o dinheiro investido nela em lucro;
  • Margem de Segurança: diferença entre os ganhos dos títulos públicos do governo e o poder de lucro da empresa analisada;
  • Poder de Lucro: função entre o lucro líquido e o valor de mercado da empresa.

Sendo assim, ao analisarmos os fatores corretos antes de investirmos nosso dinheiro em ações, aumentamos nossas chances de obter retorno de capital e diminuímos as chances de prejuízos. Portanto, é indispensável escolher bem as empresas e estudá-las com cautela antes de confiar nosso dinheiro a elas.

3. Análise Fundamentalista – José Kobori

Investidores dedicam centenas de horas para compreender o comportamento de seus investimentos: calculando juros, taxas, retornos, prejuízos, tempo de rendimentos, etc. É indiscutível a necessidade de conhecer aquilo que se investe, mas, ao mesmo tempo, há fatores imprevisíveis que influenciam nossos ganhos.

O livro Análise Fundamentalista, do consultor financeiro José Kobori, explica como podemos inferir a probabilidade de valorização de ações, apresentando ferramentas de análise, dados sobre o ambiente econômico atual e elementos que precisamos conhecer e prestar atenção ao avaliar o risco de um investimento.

Kobori trata, principalmente, do tripé macroeconômico brasileiro, que se refere à base metodológica que sustenta a política econômica do país, afirmando que ele apoia as principais decisões e riscos relacionados a investimentos. Afirma, também, que incertezas podem causar desvios dos valores almejados pelo investidor.

Sendo assim, sugere-se que, ao calcular o risco de um investimento, levemos em conta este tripé, composto por:

  • Meta de inflação: base para controle do montante monetário da economia;
  • Câmbio flutuante: definição do valor de uma moeda com base na oferta e demanda (como a cotação do Dólar em relação ao Real, por exemplo);
  • Superávit primário: saldo positivo entre arrecadações e despesas do governo.

Também aconselha considerar os conceitos de:

  • Ganho e perda de capital: variação positiva ou negativa, respectivamente, no preço de um ativo durante certo período de tempo;
  • Risco: probabilidade de não obter o efeito desejado ou planejado;
  • Rentabilidade: lucro sustentado pela vantagem competitiva de longo prazo.

 

4. Os Axiomas de Zurique – Max Gunther

Quando falamos sobre investimentos, devemos levar em consideração que somos indivíduos singulares, com objetivos e restrições diferentes. Sendo assim, é impossível que, ao tomarmos atitudes iguais sob circunstâncias distintas, cheguemos ao mesmo lugar.

Apesar disso, existem ações que todos podem tomar, independentemente de sua maneira de investir: seja no mercado de ações, em fundos imobiliários ou de investimentos, no comércio, etc. Tais condutas são listadas na obra Os Axiomas de Zurique, de Max Gunther, escritor e jornalista especialista em finanças.

Max lista as características que todos os investidores devem buscar, sendo a racionalidade o fator mais importante. O autor afirma que o maior risco que os investidores correm é basearem-se em previsões ou apostas de sorte, e deixarem o ego ultrapassar a sensatez.

O livro enumera, então, 12 principais axiomas consagrados por investidores suíços durante décadas de investimentos, destacando que um investidor deve estar preparado para “apostar para ganhar”, ou seja: se você está disposto a aplicar seu dinheiro, faça isso de maneira sensata, para colher os melhores frutos possíveis.

Sendo assim, alguns dos principais axiomas são:

  • Axioma da ganância: é necessário saber quando retirar seu dinheiro do investimento, mesmo que ainda haja lucro. É mais inteligente deixar de ganhar um pouco do que perder tudo.
  • Axioma dos padrões: em se tratando de dinheiro, é impossível prever qual o melhor caminho. Portanto, ao invés de investir em apostas, estude e entenda o comportamento do mercado.
  • Axioma do consenso: se você deseja chegar onde a maioria não está, é preciso que você trace seu caminho por si só, desconsiderando a opinião da maioria e desenvolvendo estratégias próprias.

Faça esses ensinamentos renderem!

Agora que você já conhece os conceitos mais importantes a serem analisados antes de investir seu dinheiro, esteja pronto para fixá-los e colocá-los em prática, sempre lembrando que os investimentos de sucesso não são baseados no desempenho alheio, e sim na compreensão de nossas próprias particularidades e necessidades.

Além de conceitos técnicos, é necessário traçar objetivos claros e possuir disciplina, contando com o fato de que apesar de não controlarmos o mercado econômico, podemos controlar nossas ações dentro dele.

Por fim, lembre-se de que sucesso financeiro é sinônimo de planejamento, informação, dedicação e paciência!

Bons estudos e bons investimentos!

Este post foi produzido pela equipe do PocketBook4You, uma plataforma que oferece centenas de resumos de livros dos maiores autores e best-sellers da atualidade, e tem como principal missão levar conhecimento diversificado que se encaixa no dia a dia de cada um dos seus usuários, ao redor do Brasil e do mundo!

Você também pode se interessar por:

Abra sua conta online e grátis