Blog

Viver de dividendos: o que é preciso fazer?

Muitas pessoas que investem em ações sonham em poder viver de dividendos e conquistar a independência financeira. Para que esse plano possa se concretizar, é preciso analisar com cuidado como está a lucratividade dos seus investimentos e se os seus comportamentos no mercado de ações favorecem o aumento deles.

Ambas os fatores serão determinantes para que você consiga viver de dividendos. Por ser um assunto que exige uma estratégia bem definida, convidamos você a continuar a leitura deste artigo para entender melhor a questão.

É possível viver de dividendos?

Sim, viver de dividendos já é uma realidade para milhares de pessoas. Mas para fazer parte desse grupo é preciso adotar algumas práticas. A primeira delas é refletir sobre o seu nível de planejamento financeiro. É muito importante que você tenha um plano a respeito de como acontecerá o acúmulo de patrimônio e as atitudes para manter o montante investido.

Alguns aspectos têm peso nesse planejamento, e vale ressaltar a importância de considerar o seu salário, os seus gastos e as suas projeções de carreira. Sabe por que estamos falando disso?

Por exemplo, se você é empreendedor, precisa entender que alguns períodos são mais lucrativos, enquanto outros são menos. Logo, é preciso ter um equilíbrio para não ter que interromper os investimentos em meses em que o seu pró-labore ficar aquém do esperado, o que impactaria diretamente os seus investimentos.

Quais são as vantagens dos dividendos?

Se você pretende viver de dividendos, com certeza sabe que isso traz o benefício de lucrar com os seus investimentos, mas essa é apenas uma das vantagens. Confira outras a seguir!

Isenção fiscal

Um dos grandes benefícios dessa estratégia de investimentos é a isenção fiscal sobre os rendimentos. Para pessoas físicas, o montante recebido em dividendos é isento de Imposto de Renda. Isso ocorre pois o investidor recebe o lucro líquido de uma empresa que já efetuou o pagamento de impostos.

Mas é claro que existem limites de valores para que aconteça essa isenção. Você será obrigado a fazer a declaração caso os seus rendimentos venham a ser superiores a R$ 40 mil ao ano, e também no caso de o total de suas aplicações ultrapassar os R$ 300 mil.

Valorização do preço da ação

O mercado de ações oscila, como já deve ser do seu conhecimento. Isso faz com que as ações de determinada empresa valorizem ou desvalorizem com o tempo. Se você investe de maneira diversificada, as chances de ocorrer a valorização dos seus ativos é bem maior.

Consequentemente, isso permite que você amplie o lucro, afinal, é possível reinvestir os juros obtidos em novas ações. Além disso, vale lembrar que as boas empresas têm grandes chances de terem uma uma curva crescente de valorização.

Liquidez para realizar outros investimentos

As ações costumam ter alta liquidez, o que significa que o ativo pode ser revertido em dinheiro, sem que para isso o valor original seja afetado. No entanto, mesmo no mercado financeiro, existem alguns ativos com maior ou menor liquidez, o que faz necessário levar em consideração a opção que melhor se encaixa em seus objetivos antes de efetuar a compra.

Assim, é importante fazer algumas análises para verificar o posicionamento de determinada ação e a projeção de valorização, entre outros aspectos. Diante disso, você poderá reinvestir em ações mais atrativas, conforme os seus planos futuros.

Como conseguir viver de dividendos?

O planejamento financeiro é essencial para quem deseja viver de dividendos, mas ele precisa estar atrelado a outras ações. Confira algumas delas.

Trabalhe em plano de juros compostos

Dentro do seu planejamento financeiro é importante que você tenha ciência da importância que os juros compostos terão no montante acumulado. Quando você reinveste ou mesmo vai acrescentando dinheiro à sua conta de investimentos sem mexer no que já foi guardado, é possível projetar o plano de juros compostos.

Por exemplo, suponha que você invista R$ 10 mil a juros de 10% ao ano. No final do período, o montante será de R$ 11 mil. No próximo ano, se o montante for apenas reinvestido, os juros incidirão sobre os R$ 11 mil e não sobre os R$ 10 mil.

Opte por empresas boas que pagam dividendos

Um fator importante a considerar quando se quer viver de dividendos é optar pelas empresas que pagam melhores dividendos. Isso impactará diretamente o seu faturamento, portanto, é uma decisão que deve ser tomada com cuidado. Veja alguns indicadores que devem ser acompanhados.

Dividend yield

O indicador mede o retorno que a ação teve, levando em consideração os proventos pagos aos acionistas. Ele representa a relação entre os dividendos que foram distribuídos e o preço atual da ação. Mas vale a atenção, visto que uma empresa pode ter um DY que parece ser melhor do que é, embora o preço da ação continue baixo.

Payout

Outro bom indicador é o percentual do lucro líquido que é distribuído como dividendos ou juros sobre o próprio capital aos acionistas. O mais comum é que ao final de cada exercício, a organização que teve lucro faça essa distribuição, sendo que o percentual disso pode ser definido por ela.

Vale lembrar que um negócio que faça uma distribuição muito grande de seu lucro pode barrar o seu crescimento, visto que não terá um montante suficiente para reinvestir.

Endividamento

O ideal é que a dívida não ultrapasse o seu patrimônio líquido, nem seja muito maior que o lucro operacional, que serve exclusivamente para manter a atividade fim do negócio.

Tenha uma carteira de dividendos diversificada

Por mais que um dividendo renda bem, não é o mais adequado investir todo o seu dinheiro apenas nele. Um dos segredos de quem está na bolsa de valores e tem bons resultados é justamente o fato de manter uma carteira de dividendos diversificada.

Para fazer a distribuição correta, é importante analisar o capital investido e não a quantidade de ações. Por exemplo, você deve ter na carteira uma maior quantidade de ações cujo valo unitário é menor, de forma que o valor aplicado em cada uma das organizações esteja próximo da igualdade.

Ao manter o foco nos objetivos de longo prazo, levando em consideração o seu perfil de investidor e investindo de maneira frequente, é possível não só formar uma carteira sólida de ações, mas viver de dividendos obtidos com o tempo.

Um dos principais objetivos de quem investe em ativos é conquistar a independência financeira. Quer saber como otimizar esse processo? Leia o artigo!

dividendos

Você também pode se interessar por:

Abra sua conta online e grátis