Ícone do site CM Capital

Previdência privada: entenda a diferença entre PGBL e VGBL

A procura por planos de previdência privada disparou no Brasil desde que a Reforma da Previdência foi aprovada, em 2019. Na época, a discussão sobre alternativas de complementação de renda para além do INSS veio à tona e esse tipo de investimento se tornou, mais do que nunca, quase que uma necessidade para quem pensa no futuro.

De acordo com a Federação Nacional de Previdência Privada (Fenaprev), até o final de 2022, pelo menos 11 milhões de brasileiros contratam um desses planos para garantir uma aposentadoria mais confortável lá frente. Essa amplitude também se deu pela popularização do investimento, com planos que permitem uma contribuição a partir de R$ 50.

Na hora de contratar um plano, a pessoa se depara com inúmeras opções. Os tipos mais populares são Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) e o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL). Juntos, eles correspondem a 82% dos disponíveis no mercado.

Mas, afinal, qual a diferença entre eles? Continue a leitura e entenda os dois tipos, qual faz mais sentido pra você e como contratar um plano.

82% dos planos de previdência privada são VGBL e PGBL

Antes de entender a diferença entre eles, é importante conhecer o que é uma “previdência privada”, também conhecida como “previdência complementar”.

Ela é uma forma de investimento em que você contribui com uma quantia em dinheiro por um determinado período e esse valor fica rendendo. Os pagamentos podem ser mensais, de uma só vez, e ainda se pode fazer contribuições adicionais.

Na hora da contratação, você opta por receber esses valores com os rendimentos em um resgate único ou, se preferir, recebe mês a mês, como complemento de renda.

Ler também: O que é Fundo de Previdência Privada

Entenda as diferenças

Oito a cada dez fundos de previdência privada são Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) ou Plano Gerador de Benefício Livre. Na essência, eles são a mesma coisa, mas variam em suas categorias. O VGBL é classificado como seguro de pessoa, já o PGBL é um plano de previdência complementar.

Além do grupo, a principal diferença entre os dois está no tratamento tributário. Em ambos, o Imposto de Renda incide no momento do resgate ou recebimento da renda. Porém, no caso do PGBL, esse imposto já é compensado progressivamente.

Vantagens PGBL

Quem é obrigado a declarar Imposto de Renda sempre se preocupa em buscar deduções legais para abater no tributo. O fundo de previdência PGBL é um desses recursos, pois conta com incentivo fiscal previsto pela Receita Federal. As aplicações desse plano são dedutíveis da base de cálculo do IR até o limite de 12% da renda bruta total tributável durante o ano.

Na prática, isso quer dizer que quem opta pelo PGBL e faz a declaração completa do Imposto de Renda pode ter uma redução no imposto a pagar ou um aumento na restituição a receber.

Por outro lado, no momento em que você vai receber o seu investimento, o imposto de renda é cobrado sobre todo o patrimônio acumulado (valor investido + rendimentos).

Vantagens VGBL

O VGBL já não conta com essa dedução no IR anual. Só que, neste caso, o Imposto de Rena incide no momento do resgate e apenas sobre o valor do rendimento da aplicação e não sobre o patrimônio como um todo – como é o caso da outra opção.

Na prática, o PGBL é indicado para quem faz a declaração no modelo simplificado ou pra aquele que já chegou no limite do abatimento PGBL e deseja ampliar os aportes.

Veja na tabela abaixo o comparativo entre dois tipos de previdência privada:

Tipos de previdência privada. Fonte: CM Capital

Qual vale mais a pena?  

Vale lembrar que uma pessoa pode contratar, simultaneamente, um plano de previdência privada PGBL e outro VGBL. Mas as indicações variam justamente pela forma de tributação:

PGBL
Indicado para quem declara seu IR de forma completa, o PGBL permite deduzir as contribuições da base de cálculo do imposto, até 12% da renda. Por sua vez, o IR cobrado no resgate incide sobre o valor total acumulado.

VGBL
Indicado para que declara seu IR de forma simplificada ou deseja contribuir com mais de 12% de sua renda tributável. Na hora do resgate, o IR incide somente sobre a rentabilidade, porém não permite a dedução das contribuições da base de cálculo do IR.

Agora que você entendeu a diferença entre os dois tipos de previdência privada, avalie qual é a melhor opção pra você e comece a investir agora mesmo com a CM Capital. Abra sua conta gratuitamente.

Sair da versão mobile